Noite do Educavídeo no Festival de Cinema será dia 12 de agosto

A participação do Programa Municipal Escola de Cinema – Educavídeo no 49º Festival de Cinema de Gramado será no dia 12 de agosto. Novamente, o programa será a avant-premiere do festival. E, neste ano, devido, novamente, às restrições sanitárias impostas pela pandemia de Covid-19, a apresentação das produções dos alunos da rede pública de Gramado será diferente: completamente virtual. O Educavídeo é promovido pela Secretaria Municipal da Educação em parceria com a Gramadotur desde 2011 e visa a produção audiovisual entre os alunos da rede pública.

Em 2020, no primeiro ano da pandemia, a noite do Educavídeo foi em formato de live. No palco do Palácio dos Festivais, dois ex-alunos e, hoje, profissionais de jornalismo e teatro, Victoria Feijó e Pedro Bertoldi, respectivamente, apresentaram a atração, que fez uma retrospectiva dos 10 anos de atuação do programa, exibindo curtas que marcaram época ou receberam premiações, além da participação de ex-alunos e ex-professores.

Para esta nova edição, um programa especial foi gravado no Museu do Festival de Cinema e terá a apresentação da aluna da turma do Avançado, Bianca Fioreze. O programa trará produções inéditas, sendo que três delas foram finalizadas no segundo semestre de 2019: os curtas Mãe É Tudo Igual, da turma do Iniciante; Batendo a Meta, da turma Especial Mosés Bezzi e Frágil, da turma do Intermediário. Além dessas, terão produções feitas no primeiro semestre de 2021: o curta Player 1, da turma do Intermediário e o média-metragem Entre Vidraças, da turma do Avançado.

“Nesta edição, os expectadores poderão ver produções feitas antes da pandemia e aquelas que foram feitas este ano, com o retorno das aulas no modelo à distância, de forma remota e as gravações que ocorreram também de modo virtual. Grande parte das cenas foram feitas pelos alunos, em casa, usando celulares, outras foram feitas utilizando programas de vídeo-chamada e, apenas uma cena, foi feita presencialmente, observando regras como uso de máscara, distanciamento social e restrição de participantes”, conta a professora Thayse Martins.

Além das produções, o programa especial contará com depoimentos de alunos que participaram das gravações e autoridades. O especial vai ao ar no dia 12 de agosto, a partir das 19h, no canal do Educavídeo no Youtube e também pelo site do Festival de Cinema de Gramado.

Serviço:

O que: Noite do Educavídeo no Festival de Cinema de Gramado

Quando: 12 de agosto (quinta-feira)

Horário: 19h

Onde:

Canal do Educavídeo no Youtube: https://www.youtube.com/channel/UC1cuHCWEFcsFdWw7CG3QoIQ

Site do Festival de Cinema:

http://www.festivaldegramado.net/

Sinopse dos filmes:

Mãe é tudo igual: Uma jovem adulta descobre que está grávida e procura a mãe para contar a novidade. A futura avó, dona Margaretty, fica emocionada, mas Thalya está apreensiva com as mudanças que vão ocorrer em sua vida e a responsabilidade de ser mãe. Mais experiente, dona Margaretty resolve fazer uma espécie de “manual” de como ser mãe. Quais serão as lições que Margaretty vai repassar à filha? As risadas estão garantidas com as peripécias de Marga e seus cinco filhos: Thalya, Nanda, Ricardo, Rosa e Sabrina.

Batendo a Meta: Um serial killer tem uma meta semanal de assassinatos para cumprir, no entanto, ele enfrenta alguns obstáculos, um deles é envolvimento com suas vítimas. Será que ele vai conseguir bater a meta da semana? O filme “Batendo a meta” é uma sátira aos filmes de terror e de suspense.

Frágil: Ariel é um menino que enfrenta muitas brincadeiras e piadinhas na escola e também em casa. Isso porque ele não se enquadra no chamado perfil típico de masculinidade. O rapaz tem mais amigas e não gosta de esportes. As dificuldades familiares e no ambiente escolar põe em xeque os padrões de masculinidade.

Player 1: Isolados em casa, todos os dias parecem iguais, o tempo parece passar devagar e você já não sabe mais o que fazer… Até onde você iria para acabar com o tédio na quarentena? Um grupo de amigos irá entrar em um jogo que só tem um vencedor.

Entre Vidraças: Duas vizinhas que não se conheciam antes da quarentena, passam a conversar por cartazes que ambas penduram em suas janelas, inclusive se ajudam para resolverem problemas pessoais, mesmo nunca tendo se encontrado antes.